Literatura inspira jogo de cartas de alunos da Fatec

Ambientado na Porto Alegre (RS) do ano 1900, card game para alunos do ensino médio aproxima livros dos jogos, tendo como protagonistas personagens de clássicos da literatura brasileira

Antes mesmo de concluir a graduação no curso noturno de Jogos Digitais, na Faculdade de Tecnologia (Fatec) de São Caetano do Sul, o casal de universitários Samanta Geraldini e Kevin Talarico abriu uma empresa, a Potato Cat, e desenvolveu o Cartas a Vapor, um jogo inédito.

Com temática retrofuturista (steampunk), é ambientado na Porto Alegre (RS) do ano de 1900 e protagonizado por personagens clássicos da literatura. A lista inclui o psiquiatra Simão Bacamarte, de O alienista, de Machado de Assis; o pedagogo Aristarco, de O ateneu, de Raul Pompeia; entre outras criações literárias cujo direito autoral está em domínio público.

Com caráter cultural, Cartas a Vapor é direcionado a estudantes do ensino médio e mescla elementos de jogos tradicionais de baralho (como buraco e truco) com desafios de cartas modernos. Aventura com nuances de espionagem baseada em dez missões extraídas do livro A lição de anatomia do temível Dr. Louison, do gaúcho Enéias Tavares, e também em outros textos do escritor.

Empreendedorismo

Coordenador do curso de Jogos Digitais da Fatec São Caetano, o professor Alan Carvalho vê o lançamento de Cartas a Vapor como grande orgulho para toda a faculdade. Segundo ele, o empreendedorismo é incentivado em todos as formações oferecidas pelo Centro Paula Souza e essa iniciativa, em especial, fortalece ainda mais o desenvolvimento do mercado brasileiro de games, uma área incipiente, porém, bastante promissora.

“Misturar elementos da cultura atual (como a atmosfera dos videogames) com os da literatura foi estratégica para aumentar o interesse dos jogadores pela leitura”, comenta Samanta, de 19 anos, um ano mais nova que Kevin.

Apoio

No início, o casal apresentou o jogo para editoras de card games, mas a ideia de repassá-lo a uma empresa não avançou. Samanta e Kevin decidiram, então, empreender, apostando na qualidade do produto e na boa aceitação obtida em testes realizados com familiares, amigos e colegas da Fatec.

Faltava, porém, o dinheiro para imprimir a primeira tiragem de 500 baralhos. A saída encontrada foi iniciar uma campanha on-line de financiamento. No site Kickante são apresentadas as informações sobre o produto (vídeos, desenhos, textos) e os interessados podem fazer aportes – qualquer colaboração dá direito a uma cópia do jogo (ver serviço).

Coletiva

A contribuição mínima é de R$ 15. A proposta, explica Samanta, não é receber doações, mas ter o aval de quem realmente se interessou pelo jogo inédito e pretende adquiri-lo. Esse modelo de captação de recursos tem prazo para terminar.

Ao final do período da campanha, se o montante necessário for atingido, cada apoiador receberá o produto e outros benefícios, de acordo com seu investimento; se o total não tiver sido alcançado, todo o valor creditado será devolvido aos financiadores.

A campanha de Cartas a Vapor termina à meia-noite de hoje, dia 12. Até as 15 horas de ontem, 11, 280 interessados haviam doado R$ 35,9 mil, ou seja, R$ 6,9 mil além dos R$ 29 mil necessários para a impressão inicial.

Serviço

Fatec São Caetano do Sul
Site de apoio (Kickante) e divulgação do jogo

Rogério Mascia Silveira
Imprensa Oficial – Conteúdo Editorial

Reportagem publicada originalmente na página III do Poder Executivo I e II do Diário Oficial do Estado de SP do dia 12/10/2016. (PDF)

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.