Um brinde aos melhores

Quinta edição do prêmio anual do Banco do Povo Paulista destacou o desempenho de 22 das 527 agências do programa em 2013; pessoa física pode financiar até R$ 15 mil, jurídica até R$ 20 mil e cooperativa até R$ 25 mil; crédito pode ser usado para compra de equipamentos, animais, barco ou trator

A 5ª edição do prêmio anual do Banco do Povo Paulista (BPP) celebrou a atuação dos agentes de crédito, das prefeituras e dos responsáveis pelo programa estadual de microcrédito, o maior do País em número de operações financeiras e no volume emprestado. O concurso destacou a atuação das agências com melhor desempenho ao longo do ano passado e homenageou, com troféus, representantes de 22 delas.

Coordenado pela Secretaria Estadual do Emprego e Relações do Trabalho (SERT), o BPP emprestou mais de R$ 100 milhões em 2013 e, atualmente, conta com 600 agentes de crédito distribuídos em 527 agências em 517 cidades paulistas. O anúncio das campeãs foi feito em solenidade realizada na semana passada, no Palácio dos Bandeirantes, na capital.

O concurso foi dividido em oito categorias. A primeira destacou a maior produção por habitante de cada município e a agência vencedora foi a de Rubineia. As outras sete categorias foram organizadas e avaliadas de acordo com o número de habitantes de cada cidade. A premiação destacou as três agências com melhor desempenho financeiro, levando-se em conta a densidade demográfica (ver boxe).

Agência campeã

A funcionária pública municipal Patrícia Magnani é a única agente de crédito do Banco do Povo de Rubineia. A campeã, de 27 anos, é nutricionista, estuda pós-graduação na área e nasceu na cidade de 3 mil habitantes, próxima da divisa do Estado de São Paulo com Mato Grosso do Sul. Ela disse estar muito orgulhosa com a premiação – que também lhe rendeu uma moção de aplausos da Câmara Municipal de Rubineia, a ser entregue na próxima semana.

Recordista estadual, Patrícia conseguiu aprovar 55 financiamentos ao longo de 2013, num total de R$ 337,6 mil. Com o resultado, ela superou em sete empréstimos a meta anual da agência. Tal desempenho também lhe deu o direito de receber três vezes o bônus por participação nos resultados pagos pelo Governo estadual aos agentes de crédito.

Criada em 2002, a agência de Rubineia funciona em um prédio público municipal. Patrícia responde pelo posto desde junho de 2010. Ela divide o tempo de atendimento entre o balcão e as visitas que faz, para a aprovação do crédito, ao domicílio e ao local de trabalho dos solicitantes.

Entre os clientes, estão, em maioria, produtores rurais, comerciantes e pescadores da região. Muitos são “fregueses antigos” e frequentes, com mais de três ou quatro empréstimos finalizados. Mas eles acabam retornando para pedir um novo crédito.

Entre os pescadores, as requisições mais comuns são para adquirir partes ou financiar o valor integral de barcos e de motores de popa. Os produtores rurais investem o dinheiro em vacas leiteiras, gado de corte, implementos agrícolas, trator usado, entre outros. Os comerciantes costumam usar o recurso para a ampliação dos negócios.

Patrícia divide o mérito da premiação com todos os envolvidos com o microcrédito. Ela se diz privilegiada por acompanhar o crescimento de muitos negócios locais. O segredo, segundo Patrícia, é jamais perder o foco no cliente. “Procuro sempre ouvi-lo, incentivá-lo e atendê-lo da melhor maneira possível. E mantenho a crença de que é sempre possível evoluir”, confidencia.

Como funciona o BPP

O BPP é um programa executado pela SERT em parceria com as prefeituras. Visa a estimular a geração de emprego e renda nos 645 municípios paulistas. Nele, o Estado arca com 90% dos custos, seleciona e treina os agentes de crédito responsáveis pelo atendimento nas agências e gerencia e supervisiona as atividades operacionais. A contrapartida dos municípios é bancar os 10% restantes dos custos e ceder pessoal, espaço físico e infraestrutura para a manutenção e o funcionamento do posto.

Nos três primeiros meses do ano, o Banco do Povo Paulista aumentou em 47% o montante emprestado na comparação com o mesmo período do ano passado: foram emprestados R$ 52,9 milhões ante R$ 36 milhões em 2013.

Dinheiro em três dias

O público-alvo dos financiamentos são microempreendedores urbanos e rurais, com atividade econômica formal ou informal. Também podem tomar crédito para fins produtivos as cooperativas ou o cliente maior de idade, com “nome limpo” e faturamento mensal de até R$ 30 mil. Depois de ter o cadastro aprovado na agência, o empreendedor recebe o dinheiro em até 72 horas.

Há também linhas de crédito especiais para: mutuários da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU), dispostos a reformar ou ampliar seu imóvel; para motofretistas que precisam se adequar à nova regulamentação do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran); e taxistas que queiram investir no seu negócio.

Baixa inadimplência

Em todas as operações financeiras, o juro cobrado é de 0,35% ao mês. Os valores máximos de financiamento são de R$ 15 mil para pessoa física, R$ 20 mil para pessoa jurídica e R$ 25 mil para cooperativas. Todos os empréstimos são isentos de Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), Taxa de Abertura de Crédito (TAC) e de serviços comumente cobrados por bancos tradicionais, como elaboração de contrato e liberação do financiamento.

Cliente pessoa física tem prazo máximo de 24 meses para pagar. No caso de pessoa jurídica e cooperativa o parcelamento pode ser de até 36 vezes. Em caso de inadimplência, é cobrada comissão de permanência de 2,5% ao mês sobre a parcela em atraso. Em todo o programa, a média de inadimplência histórica se mantém (desde sua criação, em abril de 1988) abaixo de 3%. E o serviço já repassou mais de R$ 1,3 bilhão aos empreendedores.

Onde empregar

O dinheiro pode ser usado para abrir ou regularizar negócio, capital de giro ou investimento fixo ou, ainda, para bancar publicidade, comprar mercadorias, veículo utilitário, matéria-prima, sementes, mudas, fazer consertos, etc.

Ter avalista é exigência contratual. Ele até pode ser parente de primeiro grau, desde que não trabalhe no mesmo negócio do tomador do dinheiro. Caso o cliente pague em dia as prestações do empréstimo, ao fazer um segundo pedido de crédito, será dispensado de apresentar fiador, desde que o valor emprestado não ultrapasse R$ 7,5 mil.


Campeãs nas outras sete categorias
População (nº habitantes) Cidades vencedoras
Até 7,5 mil Lupércio, Sud Menucci e Santa Cruz da Conceição
15 mil Divinolândia, Itajobi e Terra Roxa
30 mil Santa Fé do Sul, Pereira Barreto e Cândido Mota
50 mil Presidente Venceslau, Jales e Santa Cruz do Rio Pardo
100 mil Avaré, Amparo e Leme
300 mil Araçatuba, Araras e Ribeirão Pires
Acima de 300 mil Sebrae Rio Pequeno (capital), Ribeirão Preto e Sorocaba

Serviço

Para visualizar a relação completa de agências, documentos necessários e regras vigentes para pedir empréstimos, acesse o site do BPP. Na página, há um simulador on-line para financiamentos. Ele informa valores das parcelas e os prazos possíveis para pagamento

Rogério Mascia Silveira
Imprensa Oficial – Conteúdo Editorial

Reportagem publicada originalmente na página IV do Poder Executivo I e II do Diário Oficial do Estado de SP do dia 01/05/2014. (PDF)

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.