São Paulo faz coleção de medalhas

Delegações mirim e infantil paulistas vencem as duas etapas nacionais dos Jogos Escolares da Juventude, disputadas em Natal e em Belém

Formada por 164 atletas, a delegação paulista foi a que mais conquistou medalhas na etapa infantil (15 a 17 anos), a segunda e última fase dos Jogos Escolares da Juventude de 2013. Realizada em Belém (PA), de 7 a 16 de novembro, a competição nacional reuniu 4 mil atletas estudantes de todos os Estados brasileiros.

Na capital do Pará, os pequenos atletas paulistas conquistaram 75 medalhas (36 de ouro, 22 de prata e 17 de bronze). Na fase anterior, disputada de 5 a 14 setembro, em Natal (RN), com alunos de 12 a 14 anos (categoria mirim), também lideraram o ranking de vitórias e subiram no pódio 71 vezes (veja abaixo o quadro completo).

Os Jogos Escolares da Juventude são organizados pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB) em co–realização com o Ministério do Esporte e as Organizações Globo. Envolvem disputas de atletismo, badminton, basquete, ciclismo, futsal, ginástica rítmica, handebol, judô, luta olímpica, natação, tênis de mesa, vôlei, vôlei de praia e xadrez.

As viagens e hospedagens da delegação paulista foram custeadas pela Secretaria Estadual de Esportes, Lazer e Juventude (SELJ). O grupo foi formado ao longo de 2013, em diversas seletivas classificatórias (Jogos Escolares do Estado), realizadas na capital e no interior em parceria com prefeituras e entidades.

Na categoria infantil, o principal destaque paulista foram os nadadores. Juntos, obtiveram 25 medalhas e bateram seis recordes nacionais. O atletismo conquistou 19 medalhas e estabeleceu três novos recordes. E, nas modalidades coletivas, vieram ouros no futsal, handebol e basquete. Em 2014, a cidade de Londrina (PR) sediará os Jogos Escolares da Juventude na etapa mirim. A categoria infantil ainda não tem local confirmado.

Toque de Midas

Matheus Feitosa é um dos 12 jogadores do time masculino de handebol que levou São Paulo ao local mais alto do pódio. Ele conta que a equipe foi montada em meados de 2008, na Escola Estadual Professor Wilson Roberto Simonini, da capital, pelo professor de educação física e técnico Jefferson Silvano, que também os acompanhou em Belém.

O time surgiu quando o professor Jefferson chamou 50 alunos com idades entre 10 e 12 anos para jogar futsal. No encontro, revelou que o objetivo era montar uma equipe de handebol, para quem estivesse disposto a conhecer o esporte, menos praticado pelo futsal, que é atualmente o mais praticado no Brasil.

Jogado com as mãos em quadra poliesportiva, o handebol é disputado por duas equipes de sete jogadores (seis na linha mais o goleiro) em dois tempos corridos de 25 minutos.

Em outubro, os meninos da zona leste da capital venceram os Jogos Escolares Estaduais da Juventude, disputados em Limeira. A vitória local lhes deu o direito de representar São Paulo na competição nacional. Em Belém, disputaram o título com outras 27 equipes. Foram cinco jogos e cinco vitórias.

“Crescemos ao longo da competição. A partida mais difícil foi a da estreia, contra o Ceará (vitória por 25×24), pois ainda estávamos nos adaptando ao clima da região norte”, disse Matheus. Ainda na fase de grupos, enfrentaram Acre (41×27) e Pará (24×21). Na semifinal, bateram o Rio de Janeiro por 24×23, jogo decidido no último lance da partida.

A final, contra Pernambuco (20×16), também não foi fácil: “Eles tinham jogadores muito fortes e altos, alguns com mais de 1,90 metro”. Dos 12 campeões brasileiros, cinco atuam pela Universidade Metodista de São Bernardo e dois fazem parte do acampamento da seleção, que junta os melhores jogadores de cada Estado para treinar com o técnico da seleção brasileira adulta. Os próximos passos, revela Matheus, são a profissionalização e mais conquistas.

Nadando por títulos

A técnica Thieli Monzani, de 26 anos, encerrou sua carreira de nadadora aos 16. Entretanto, considera que sua experiência como atleta tenha sido fundamental no trabalho atual de garimpar e lapidar talentos para a natação. Com Lucas Fragoso, também professor de educação física, eles treinam a equipe paulista no conjunto aquático do Corinthians, na capital.

O trabalho nas piscinas é realizado desde 2009, a partir de uma parceria do clube com as três unidades de ensino do Colégio Amorim, da capital, e envolve também futsal e futebol de base. Dos 13 nadadores da delegação paulista, a escola cedeu nove – dos restantes, dois são de Santos, uma de Presidente Prudente e outro da capital.

Do grupo de paulistas que foi para Belém, Thieli treinou três meninas e dois meninos e seus comandados conquistaram cinco medalhas no masculino e quatro no feminino. “Temos um histórico de bons resultados, mas as nove medalhas foram uma surpresa”, destacou. A treinadora avalia que, em Belém, alguns atletas evoluíram e a expectativa é que sigam treinando para sonhar com os índices exigidos pelo COB e disputar a Olimpíada de 2016, no Rio de Janeiro.


Estados com mais medalhas em 2013
Classificação Estado Ouro Prata Bronze Total
1 São Paulo 36 22 17 75
2 Paraná 13 13 19 45
3 Rio de Janeiro 12 17 18 47
4 Santa Catarina 12 10 13 35
5 Espírito Santo 10 8 6 24
6 Minas Gerais 10 5 5 20
7 Amazonas 6 4 5 15
8 Rio Grande do Sul 5 6 10 21
9 Ceará 5 2 5 12
10 Mato Grosso 3 4 4 11

(Fonte: Secretaria de Esportes, Juventude e Lazer)

Serviço

Secretaria de Esportes, Juventude e Lazer (SELJ)
Jogos Escolares da Juventude

Rogério Mascia Silveira
Imprensa Oficial – Conteúdo Editorial

Reportagem publicada originalmente na página IV do Poder Executivo I e II do Diário Oficial do Estado de SP do dia 26/11/2013. (PDF)

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.