Ouro por São Paulo

Disputando os Jogos Escolares da Juventude, a delegação paulista de atletismo reúne 26 atletas em busca de medalhas e recordes

Até domingo, 17, a equipe paulista segue disputando em Belém os Jogos Escolares da Juventude, com o apoio da Secretaria Estadual de Esportes, Lazer e Juventude. A abertura do torneio foi realizada na semana passada, no Ginásio da Universidade Estadual do Pará (Uepa), em Belém (PA).

De abrangência nacional, o evento dá continuidade às antigas Olimpíadas Escolares e é considerado o maior encontro estudantil esportivo do País. Reúne atletas de escolas públicas e particulares que se destacaram em seletivas estaduais, realizadas ao longo do ano com mais de 2 milhões de estudantes de 3,9 mil municípios brasileiros.

Os Jogos Escolares da Juventude são organizados pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB) em co-realização com o Ministério do Esporte e Organizações Globo em duas etapas: a primeira, com estudantes de 12 a 14 anos, foi disputada de 5 a 14 setembro, em Natal (RN) e a segunda, com os de 15 a 17 anos, segue até o dia 17 com 4 mil atletas.

As modalidades em disputa são atletismo, badminton, basquete, ciclismo, futsal, ginástica rítmica, handebol, judô, luta olímpica, natação, tênis de mesa, vôlei, vôlei de praia e xadrez. A delegação paulista tem 164 atletas. Desses, 26 formam a equipe de atletismo (13 meninos e 13 meninas) e dois treinadores. O grupo teve suas viagens custeadas pela secretaria e foi formado em dez seletivas classificatórias estaduais, realizadas em 2013 pela pasta, em parceria com a Federação Paulista de Atletismo (FPA).

Vitrine privilegiada

Lázaro Velazquez, assessor da FPA e professor de educação física, observa que as seletivas abrem espaço para o surgimento de novos talentos nestas etapas. Quem tem desempenho promissor é convidado a treinar nos Centros de Excelência do Estado. Estes complexos são fruto de parceria da Secretaria de Esportes com a FPA e os municípios, e visam à iniciação esportiva e formação de atletas, de 12 a 22 anos.

“Os centros foram criados pelo Governo paulista para dar suporte aos municípios que já tinham núcleos locais de atletismo. O Estado colabora com lanches, material esportivo (camiseta, tênis e sapatilha) e oferece transporte em algumas competições, como os campeonatos estaduais”, observa Lázaro.

As cidades que abrigam os Centros de Excelência são Americana, Bastos, Campinas, Cubatão, Guarulhos, Itapetininga, Osasco, Piracicaba, Praia Grande, Presidente Prudente, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, São José do Rio Preto, São José dos Campos, São Paulo, Santos, Sertãozinho e Taubaté.

Centros paulistas

As estudantes Daysiellen Dias e Julia Silva são representantes do atletismo paulista nas disputas dos Jogos Escolares da Juventude em Belém. Moradoras de Osasco, treinam no Sesi da cidade, um dos Centros de Excelência Esportiva do Estado, que recebeu o título em 2013.

A dupla treina de segunda-feira a sábado, em períodos mínimos diários de duas horas. Mas elas não reclamam. Daysiellen corre os 100 m, 200 m e compõe a equipe paulista em provas de revezamento. Em sua breve carreira, iniciada aos dez anos, foi campeã em 2012 dos Jogos Estudantis Brasileiros (JEB’s), disputados em Cuiabá (MT). O 1º lugar no torneio lhe deu direito de representar o País no Festival Olímpico da Juventude, campeonato mundial estudantil disputado em janeiro na Austrália.

Vida de atleta

“É um grande orgulho representar o Estado de São Paulo em Belém. Espero vencer ao menos uma das provas da maior etapa do circuito nacional. E depois seguir treinando para me profissionalizar em breve”, revelou a velocista de 16 anos. Com os mesmos sonhos e projeto de vida, Julia Silva, de 15 anos, já recordista brasileira do lançamento do disco e também treina arremesso de peso. “Comecei aos 12 anos, por sugestão de um irmão, que percebeu minha vocação para o esporte”.

O professor de educação física, Luiz Antonio Lino, técnico e treinador das duas, viajou com as meninas para Belém no dia 6. Segundo ele, a chegada aos 17 e 18 anos costuma ser um momento decisivo para quem já compete e deseja se profissionalizar.

“Nessa faixa etária, o desempenho em uma competição como os Jogos Escolares dá indicativos de quem seguirá ou não a carreira”, explica. Assim, além dos treinamentos, também auxilia em questões afins para os futuros campeões, como horários, alimentação e foco nos estudos e no esporte. “Esses detalhes fazem a diferença. Representam, muitas vezes, a chance de ocupar um pódio”, finalizou o professor.

Serviço

Secretaria Estadual da Juventude, Esporte e Lazer
Jogos Escolares da Juventude
Federação Paulista de Atletismo

Rogério Mascia Silveira
Imprensa Oficial – Conteúdo Editorial

Reportagem publicada originalmente na página III do Poder Executivo I e II do Diário Oficial do Estado de SP do dia 12/11/2013. (PDF)

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.