Vem aí o primeiro Reator Multipropósito Brasileiro

Equipamento permite pesquisas científicas na área nuclear e a produção de radioisótopos, principal matéria-prima para a fabricação de radiofármacos

O Governo estadual confirmou a declaração de utilidade pública de um terreno de 800 mil metros quadrados em Iperó. A área abrigará o primeiro Reator Multipropósito Brasileiro (RMB), e o novo centro de estudos no interior paulista será integrado ao Complexo Tecnológico Aramar, da Marinha do Brasil.

A Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN), do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), é responsável pela instalação do novo empreendimento. A iniciativa segue as políticas do Programa Nuclear Brasileiro (PNB) e integra meta estratégica do MCTI.

Atuando em parceria com o Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (IPEN), o centro de estudos produzirá radioisótopos para a fabricação dos radiofármacos e também permitirá o desenvolvimento de tecnologias e aplicações na área nuclear. Os setores contemplados com os novos serviços são agricultura, conservação de alimentos, ciência de materiais, energia, meio ambiente, entre outros.

Os radiofármacos e radioisótopos são essenciais para o diagnóstico e terapia de diversas doenças, como o câncer, por exemplo. No Brasil, a maioria destas substâncias é importada para depois ser processada localmente e distribuída em centros médicos. Com o novo RMB, a expectativa é aumentar a produção nacional deles.

Produção nuclear

Criado em 1957, o Ipen é uma autarquia da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia (SDECT). É gerido técnico e administrativamente pela CNEN e associado à Universidade de São Paulo (USP) em programas de ensino e pós-graduação.

De modo multidisciplinar, o Ipen desenvolve atividades nas áreas de saúde, meio ambiente, aplicações de técnicas nucleares, materiais, segurança radiológica, reatores nucleares e fontes alternativas de energia. Em setembro, comemorou 55 anos de criação.

Diferentemente das usinas atômicas de Angra dos Reis (RJ), o reator nuclear do Ipen não tem por objetivo gerar energia elétrica, mas, sim, duas missões básicas: A primeira é permitir pesquisas científicas na área nuclear e, a segunda, é a produção de radiosótopos, a principal matéria-prima para a fabricação de radiofármacos.

Conhecido como IEA-R1m, o reator nuclear do Ipen é um equipamento do tipo piscina, moderado e refrigerado a água leve. Usa elementos de berílio e de grafite como refletores. Foi o primeiro a entrar em atividade na América Latina, tendo sido inaugurado em 1957 pelo então presidente Juscelino Kubitschek.

Sobre o PNB

O PNB prevê aumento do uso de energia nuclear para diversas finalidades. A lista inclui o desenvolvimento tecnológico voltado à formação nacional de recursos humanos especializados e o aumento das aplicações materiais e técnicas nucleares em benefício da sociedade.

Rogério Mascia Silveira
Da Agência Imprensa Oficial

Reportagem publicada originalmente na página III do Poder Executivo I e II do Diário Oficial do Estado de SP do dia 27/12/2012. (PDF)

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.