Escola da Freguesia do Ó é considerada modelo na rede pública estadual

Gestão transparente da diretoria e união de professores, alunos e funcionários cria ambiente saudável e favorável ao aprendizado

A Escola Estadual Mathias Aires localizada na Freguesia do Ó, zona norte da capital, é considerada modelo pela Secretaria Estadual da Educação (SEE). O estabelecimento de ensino foi criado há 55 anos e oferece para os 1.168 alunos dos níveis médio (suplência) e fundamental ciclo I atividades extracurriculares, avaliação com participação dos estudantes, inclusão dos pais e de alunos com necessidades especiais e merenda caprichada. As crianças todos os dias encontram um ambiente limpo, organizado, saboroso e favorável ao aprendizado.

Cássia Passarin é mãe das gêmeas Ariana e Bruna, estudantes da terceira série. “Minha família aprova e admira a dedicação de professores e funcionários. Além disso, com grande prazer participo de atividades ligadas ao calendário escolar, como a feira cultural, que estimula os pais a participar mais da educação dos filhos”, conta.

Bruna Passarin conta que aprendeu a conservar sua escola como se fosse a própria casa. “Todo mundo gosta de sempre encontrar papel higiênico nos banheiros e admirar a beleza do jardim que nunca é pisoteado. No primeiro dia de aula, a professora ensina que é errado jogar papel no chão, rabiscar carteiras e pichar muros. Assim, quem suja, precisa limpar, porquê a escola é de todo mundo e quando eu ficar mocinha também vou querer que meus filhos estudem aqui”, conta a estudante.

Elza Oliveira, mãe de aluna da terceira série concorda. E ressalta que a parte pedagógica é excelente. “Vejo minha filha se esforçar bastante nas tarefas de português, matemática e história. E ela também gosta muito do culto religioso ecumênico que é realizado diariamente antes das aulas. Nesta prece coletiva, os alunos cantam, rezam e discutem valores como solidariedade e respeito ao próximo”, comenta.

Administração transparente

Marisa Bruna Russo Negrizolo há 13 anos é diretora da EE Mathias Aires. Repete junto com Izildinha do Rego Santos, vice-diretora, experiências bem-sucedidas que vivenciaram juntas na administração de um outro estabelecimento de ensino. A dirigente conta que quando assumiu, encontrou um ambiente desfavorável, sem disciplina e motivação. Havia pichações nas paredes e o material de limpeza utilizado era de má qualidade.

“A primeira medida tomada foi ouvir cada professor, aluno e funcionário e perguntar o que seria necessário para que cada um pudesse desempenhar bem sua função e ser feliz com sua escolha profissional. Concluí então que era necessário reforçar a auto-estima coletiva e, de modo transparente, deleguei funções e cobrei. Aos poucos, com a união de todos, os resultados começaram a aparecer. Tiramos piolho das crianças, fazemos mutirões e atividades extracurriculares, doamos uniformes, orientamos os estudantes mais velhos que cursam suplência e, desde que assumi, nunca suspendi ninguém. As decisões aqui tomadas são sempre consensuais e justificadas”, salienta.

Ao chegar na escola, as crianças são diariamente surpreendidas com mensagens em todas as paredes do prédio. São murais com fotos, desenhos e mensagens que Marisa produz para enfeitar a escola e motivar os alunos. “Os painéis são trocados a cada quinze dias e tem por objetivo despertar emoções e lembrar às crianças todos os dias que elas são a razão de existir da escola”, conta Marisa.

Maria Elisabete Fornazari, coordenadora pedagógica, conta que o EE Mathias Aires não tem nenhuma fórmula perfeita, mas sim uma grande equipe, que trabalha em harmonia e que ama o seu trabalho. “Aqui, ao menos uma vez por semana cantamos o hino nacional e hasteamos a bandeira. São valores muito importantes na formação de cidadãos conscientes e sadios”, relata.

Diretora e vice-diretora ressaltam que a filosofia de administração escolar delas é global e não descuida de pequenos detalhes, que somados, fazem a diferença. Os jardins são bem cuidados, os banheiros são limpos e a cantina vende produtos de qualidade com preço abaixo do encontrado em outras escolas. “Meu marido também é diretor de escola e sempre comparamos os preços”, explica.

A escola tem também máquina de lavar para cuidar de uniformes utilizados e colocou em funcionamento um cesto de coleta de lixo seletiva. O jardim é bem cuidado e a horta só não foi ainda replantada porque a direção está esperando a florada das roseiras. A dupla Marisa e Izildinha explica que o melhor sinal da qualidade da escola, é a grande fila de espera existente na escola de alunos interessados em se transferir e matricular na escola.

Regimento interno

Um dos fatores de sucesso da escola é o regimento interno, conjunto de regras disciplinares debatidas e atualizadas no início de cada período letivo. Marisa conta que os alunos colaboram com sugestões, críticas, perguntas e observações e nenhuma reivindicação fica sem resposta. Terminadas as discussões e finalizado o texto, alunos e professores assinam o código de conduta. Estudantes menores de idade levam cópia do documento para casa para os pais assinar e discutir os pontos com os filhos.

As regras do regimento são simples e claras. O código tem só uma folha e aborda questões do cotidiano escolar como uso do uniforme, respeito à horários, frequência nas aulas e também orientação como não subir no palco do pátio no recreio para evitar quedas, como proceder em ausências motivadas por problemas de saúde. “Evito assim indisciplina, faltas de professores e estudantes e gritarias. Além disso, no horário de aulas disperso aglomerações nas imediações da escola e evito assim, problemas com álcool e drogas”, explica.

Comunidade integrada

Marisa conta que o vínculo existente entre a EE Mathias Ayres e a comunidade do bairro é forte. Pais de alunos sempre que solicitados, comparecem e arregaçam as mangas – em mutirão ou individualmente. A união já resultou na limpeza coletiva de todo o prédio escolar e também propiciou momentos de confraternização, como churrascos com a presença de professores, alunos e pais. “A relação é fraternal e afetuosa, porém aula é aula e não há desculpas para faltar”, enfatiza, Marisa.

Nos finais de semana o Programa Escola da Família da Secretaria Estadual da Educação organiza oficinas na escola e atrai ainda mais pessoas da comunidade. As atividades são dirigidas para quaisquer interessados e os voluntários ensinam atividades profissionalizantes, aulas de violino, educação física, teclado, artes, pintura em tela, reciclagem e panificação, oferecem palestras sobre drogas e DSTs, festival de música, esportes e teatro, entre outras.

Saber e sabor

A merenda é outro destaque do EE Mathias Aires. São 400 refeições servidas diariamente, em quatro intervalos de aula. A dispensa é limpa e organizada, as caixas com mantimentos são etiquetadas e as panelas brilham. Quem comanda a cozinha industrial é Ignez Alves, merendeira com 29 anos de casa. “Amo esta escola, estudei e me formei aqui, assim como meus filhos e netos. Há 42 anos moro no bairro e espero que meus bisnetos também venham para cá”, afirma.

A jornada de trabalho dos profissionais da cozinha começa às 7h e só termina por volta das 18h, com a limpeza dos pratos e utensílios de cozinha para o dia seguinte. Ignez tem a ajuda de voluntárias como Sônia Casteli e Sueli Morales, entre outras. “Minha maior satisfação é o sorriso dos pequeninos”, conta.

As crianças adoram o cardápio. Felipe Santos, 7 anos, entrou em 2004 na escola e todos os dias repete o prato. No refeitório, as colegas de sala Taís Feliciano e Maíra Souza, de 9 anos estudam na terceira série contam que a hora do recreio é a mais gostosa do dia. “A comida é sempre quentinha e gostosa. Quando tem macarronada, o refeitório lota e falta até espaço para sentar”, contam lambendo os beiços.

Sandra Maria dos Santos é professora do ciclo I e há seis anos leciona com classes de terceira série. “Gosto da organização do Mathias. Vim transferida para cá e não conhecia a escola, mas já decidi me aposentar aqui. Tenho autonomia para ensinar e a sistemática de trabalho é interessante – cada mês há um valor para ser transmitido aos alunos, com música, poemas e atividades ligadas ao tema. Em setembro o tema foi paz e em outubro o mote é a cooperação”, conta.

Parcerias

O EE Mathias Aires mantém parcerias com empresas que doam computadores usados e também faz permutas com lojas da vizinhança, como o Bazar do Rodolfo, que vende material escolar.

Há um total de compras a ser atingido, que quando é completado o dono da loja doa material escolar para a escola. O controle é feito por meio de tíquetes que são distribuídos para os alunos no ato da venda. “Não há propaganda explícita, mas os pais, principalmente os da APM, sabem e divulgam a parceria que beneficia os alunos carentes”, conta Marisa.

Outra parceria é com a Papelaria Japuíba, localizada no bairro vizinho da Casa Verde. A instituição banca projetos como o Projeto Oficina Arte e Cultura, que oferece pré-profissionalização cultural e artística para os alunos deficientes mentais (DMs) das classes especiais da escola. São salas que dispõem de professora especializada e tem no máximo 15 alunos matriculados cada.

A diretora se emociona ao relatar a história de uma ex-aluna deficiente mental da escola que retransmitiu para seus familiares aquilo que aprendeu na EE Mathias Aires, e que hoje garante o sustento da família: a produção de imãs de geladeiras e biscuits. “O tratamento do DM em termos de aprendizagem é diferenciado, porém a convivência no ambiente escolar é igual à dos demais.”, explica Marisa.

O aluno Wésley Gonçalves da Silva tem 18 anos e estuda na terceira série B, na companhia dos outros colegas. Assim como ele, todos os alunos portadores de deficiência mental têm lições com Antonia da Silva, professora especializada, que os prepara para frequentar as aulas na companhia dos demais. “Adoro as atividades como a feira cultural e de livros realizadas na escola. Nelas encontro livros e posso expor meus desenhos”, conta.

Rogério Mascia Silveira (texto e fotos)
Da Agência Imprensa Oficial

Reportagem publicada originalmente nas páginas II e III do Poder Executivo I e II do Diário Oficial do Estado de SP do dia 15/10/2004. (PDF)

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.